Ligue já: +258 82 3012251/2

Origens

COMITÉ INTERNACIONAL DA CRUZ VERMELHA (CICV)


Comité Internacional da Cruz Vermelha é uma organização imparcial, neutra e independente, cuja missão exclusivamente humanitária é proteger a  vida e a dignidade das vítimas de conflitos armados e  outras situações de violência, assim como prestar-lhes  assistência. 

FACTOS HISTÓRICOS

1859 - Batalha de Solferino

Até meados do século XIX não existia um corpo organizado e bem estabelecido de assistência médica para os feridos em confrontos, tampouco instituições seguras e protegidas para acomodar pessoas feridas. Em Junho de 1859, o suíço Henry Dunant viajou para a Itália para encontrar-se com o imperador francês Napoleão III, com a intenção de discutir as dificuldades em fazer negócios na Algéria, então ocupada pela França.

Quando ele desembarcou em Solferino, na noite de 24 de Junho, Dunant testemunhou a batalha de Solferino, um confronto da Segunda Guerra de Independência Italiana. Em um único dia, 40 mil soldados morreram ou foram deixados feridos no campo de batalha. Dunant ficou chocado pelo final da batalha, com o sofrimento dos soldados feridos, e a falta de atendimento médico para os feridos. Com isso, Dunant abandonou completamente a intenção original de sua viagem, e por vários dias dedicou-se a ajudar com o tratamento dos feridos. Dunant organizou a assistência, através da motivação da população local para ajudar sem discriminação. 

Quando Dunant voltou para Genebra, sua cidade natal, decidiu escrever um livro, chamado “A Memória de Solferino”, que ele publicou com fundos próprios em 1862. Ele enviou cópias do livro para políticos e militares importantes em toda a Europa. Neste livro, além de tratar vivamente sobre suas experiências em Solferino, Dunant também sugeriu explicitamente a formação, em cada País, de um sistema voluntário nacional de assistência, para colaborar no cuidado médico dos feridos em guerra e a adopção de tratados internacionais para garantir a protecção de médicos neutros e hospitais de campo para os soldados feridos em batalha.

1863 - Comité Internacional para Ajuda aos Militares Feridos

Em Fevereiro de 1863, quatro cidadãos juntaram-se a Dunant para levar a cabo o projecto de constituição do Comité Internacional para Ajuda aos Militares Feridos em Tempo de Guerra.

1863 - Carta da Cruz Vermelha (10 Resoluções)

Países reuniram-se em Genebra, em Outubro de 1863, para adoptar as 10 Resoluções que formaram a Carta da Cruz Vermelha.

Estavam, pois, definidas as funções e os métodos de trabalho para socorro a feridos.

Foi também utilizado pela primeira vez uma Cruz Vermelha em fundo branco como emblema distintivo para as sociedades tratarem os feridos.

1864 - Convenção de Genebra

A assinatura da I Convenção de Genebra contribuiu para a melhoria das condições dos feridos das forças armadas em campanha.

As instalações médicas militares, os veículos e o pessoal sanitário deviam ser considerados neutros e, deste modo, protegidos.

1914-18 - Primeira Guerra Mundia

Durante a I Guerra Mundial, delegados do Comité Internacional da Cruz Vermelha visitam prisioneiros de guerra

Pedem a melhoria das condições de detenção

São enviadas 2 milhões de encomendas para prisioneiros. 

Cerca de 120 mil pessoas solicitaram ao Comité informações sobre pessoal militar capturado e desaparecido.

A guerra revela a necessidade urgente de se protegerem os civis internados.

1939-45 -Segunda Guerra Mundial

Durante o período da Segunda Guerra Mundial, o Comité Internacional da Cruz Vermelha pretendeu alargar as disposições das Convenções de Genebra para os civis de nacionalidade inimiga que estavam no território de uma das partes do conflito e foram presos somente por causa da sua nacionalidade.

1949 - Assinatura das Convenções de Genebra

Adopção das 4 Convenções de Genebra que protegem 4 categorias de pessoas: feridos, náufragos, prisioneiros e civis.

www.realpornfilms.com indian sex tube hdpornmobile.org mature porn video